quarta-feira, 13 de janeiro de 2016




Clique no link abaixo e participe junto conosco!


terça-feira, 12 de janeiro de 2016

12º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José é empossado governador do Egito: liderança aprovada.

CLAMOR PELA LIDERANÇA
“E esta palavra foi boa aos olhos de Faraó, e aos olhos de todos os seus servos. E disse Faraó a seus servos: Acharíamos um homem como este em quem haja o espírito de Deus?(...) Disse mais Faraó a José: Vês aqui te tenho posto sobre toda a terra do Egito.(...) E saiu José da presença de Faraó e passou por toda a terra do Egito” (Gn 41.37-46).

MEDITAÇÃO

José foi traído e abandonado. Enfrentou adversidades longe das pessoas que ele amava, mas, permaneceu leal a Deus. Tudo parecia ir à direção oposta do sonho que teve ainda menino. Até o dia em que percebeu que para viver os sonhos de Deus, seria preciso estar no centro da vontade de Deus. Sua vida passou a ser uma verdadeira parábola de liderança e, nos faz lembrar três princípios que devem nortear a vida de todos os que desejam influenciar pessoas e serem bons lideres.

  1. A obediência gera visão, honra e credibilidade. Todas as vezes que José era requisitado, estava pronto para obedecer. Era um homem resolvido. Ao obedecer, somos estimulados a ter uma fotografia do futuro (visão). Quando não se tem visão qualquer direção serve, quando não há metas qualquer resultado é bom, e quando não há alvo a mediocridade fará parte de sua vida. Por ser um homem resolvido, José sabia obedecer e por isso tinha visão e, com ela teve honra e a credibilidade. Depois de ouvir o jovem, Faraó o honra diante de todos e confirma a todos o que ele já tinha adquirido por conta da obediência: credibilidade.

  1. Maturidade para tirar lições das adversidades. Foi o próprio José que disse: “Vós, na verdade, intentastes o mal contra mim; porém Deus o tornou em bem, para fazer, como vedes agora, que se conserve muita gente em vida” (Gn 50.20). Não precisamos questionar os motivos que nos leva ao abandono, prisão e esquecimento, mas, o que podemos aprender diante do abandono, na prisão e no esquecimento. Isto demonstra maturidade.

  1. Humildade para depender de Deus. José sabia da sua origem e, reconhecia que Deus estava com ele. Paulo disse que Deus nos dá espírito de sabedoria, poder, amor e moderação (2Tm 1.7). Só é possível adquirir sabedoria de Deus quando se tem humildade (1Pe 5.5) e, só é possível demonstrar sabedoria quando atuamos com mansidão (Tg 3.13). Portanto, quem depende de Deus é porque teme a Ele e, só os que conseguem temer são capazes de aprender a serem sábios e humildes (Pv 15.33).

Precisamos ir até Jesus e desfazer toda a “carga” e receber o descanso dele para aprender com ele o caminho da obediência, da maturidade e da humildade, para estarmos no centro da vontade de Deus. Não permita que nenhuma raiz de amargura cresça e prejudique tanto você quanto as pessoas ao seu redor (Hb 12.15), mas busque ter paz com todos e se esforce para viver uma vida completamente dedicada a Deus (Hb  12.14), como foi o caso de José.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore pedindo a Deus que lhe mostre qual o seu ministério.
2. Ore pedindo a Deus força, sabedoria e coragem para assumir responsabilidade.
3. Ore pedindo a Deus que lhe prepare para ser honrado.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Abster-se de Café e derivados e refrigerantes. Procure ter uma alimentação saudável. Busque ao Senhor, alimente-se espiritualmente e prepare-se para a vigília mais tarde.

“Medita estas coisas, ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos” 1 Timóteo 4.15

11º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José salva sua família da miséria: provisão material

CLAMOR PELA PROVISÃO DE DEUS
“Assim não fostes vós que me enviastes para cá, senão Deus, que me tem posto por pai de Faraó, e por senhor de toda a sua casa, e como regente em toda a terra do Egito.(...) E ali te sustentarei, porque ainda haverá cinco anos de fome, para que não pereças de pobreza, tu e tua casa, e tudo o que tens” (Gn 45.8-11).

MEDITAÇÃO

Existe uma enorme necessidade nas metrópoles do mundo hoje e, se chama fome. Semelhante a época de José no Egito, milhares de pessoas, de várias partes do mundo, foram para o Egito em busca de alimento, provocando superpopulação, e aumentado ainda mais a necessidade de racionar alimentos. Não era diferente na época de Jesus Cristo. E na medida do possível Ele procurou atender as necessidades das pessoas que o cercavam em busca de cura física e alimento, por isso em duas ocasiões Ele deu graças nos poucos pães e peixes e ofereceu a multidão.

A história de José indica três procedimentos para atender as necessidades da multidão.

  1. Trabalhar, reconhecendo que foi Deus que deu a oportunidade. José agora é o governador constituído por Deus e pelo próprio Faraó. Em toda a sua trajetória, teve a oportunidade de honrar a Deus fazendo da melhor forma o que seus patrões pediam. Tinha plena certeza que Deus estava oferecendo uma oportunidade para ocupar-se de modo que deveria estar à disposição para ajudar as pessoas transformando a realidade delas.

  1. Investia, quem não arrisca não petisca. Salomão ensinou a lançar o teu pão sobre as águas para que depois de algum tempo encontrar (Ec 11.1), isto é, diversificar as oportunidades, repartir o que tem. O que José fez foi acreditar nas pessoas e, dar a elas a oportunidade de crescer. Criou um ambiente de refrigério e descanso, acolheu as pessoas de modo que elas se sintam seguras. Impressiona a forma que José administrava, pois fazia com que tanto ele, o Egito e as nações vizinhas prosperassem. Salomão disse exatamente isso, lança e você achará.

  1. Tenha fé que Deus irá sustentar tanto você quanto as pessoas que estão ao seu redor. José mandou dizer ao seu pai que ele os sustentaria nos próximos anos. Não se tratava de uma fé em si mesmo, mas, a fé em Deus que estava na direção da sua vida. A diferença de uma pessoa que fica esperando acontecer e de outra que trabalha arduamente, é que a ultima foca sua vida em Deus, sabendo que ele sustenta a cada manhã e dá oportunidades para que cresçamos: “porque dele e por ele, e para ele são todas as coisas, glória, pois a ele, eternamente” (Rm 11.36).

Não fique esperando as coisas acontecerem. Somos chamados por Deus para fazer diferente em nossa geração. Deus deseja nos prosperar, para que as pessoas ao nosso redor também sejam próspera. Portanto, oremos com fé como se tudo dependesse de Deus e de fato tudo depende dele, mas trabalhe com fé e inteligência e arrisque diversificando as oportunidades, poupando e repartindo.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore para que Deus abra as portas dos tesouros do Céu e nos abençoe.
2. Ore pelo crescimento material.
3. Ore pela libertação dos cativos.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Dieta a base de frutas, legumes e verduras (Jejum de Daniel – Daniel 1.12; 10.2, 3). E faça uma programação com a família.

“...o Senhor era com ele (José) e que tudo o que ele fazia o Senhor prosperava em suas mãos” Genesis 39.3.

10º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José se reconcilia com seus irmãos: Salvação na família!

CLAMOR POR RECONCILIAÇÃO

“Disse José a seus irmãos: Agora, chegai-vos a mim. E chegaram-se...” (Gênesis 45.4a).

MEDITAÇÃO

Seja uma pessoa disposta a estabelecer relacionamentos produtivos e duradouros por meio da pratica do ministério da reconciliação (II Coríntios 5.18). Somos reconciliados com Deus para reconciliarmos pessoas  a Deus e vivermos reconciliados com pessoas. Somente quem exerce esse ministério possui relacionamentos pacíficos. Faça como José chame as pessoas a si e elas se aproximarão!

O Ministério da reconciliação passa por três atitudes:

  1. Chamar pessoas a si. “Chegai-vos a mim...” (Gn 45.4). José não se afastou e nem desprezou aqueles que o prejudicaram. Atrair pessoas é atributo de quem está bem resolvido na vida e não carrega mágoas e ressentimentos por eventuais prejuízos que tenha sofrido. Clame por reconciliação, mas exercite a atitude de atrair pessoas a si semeando perdão e amor pelos que lhe ofendem.

  1. Aliviar pessoas. “... não vos entristeçais, nem vos irriteis contra vós mesmos...” (Gn 45.5). O conselho de José aos seus irmãos que o haviam ofendido era uma forma de promover alívio a eles. Não acuse as pessoas pelos erros que elas cometeram contra você, nem tente impregnar nelas um sentimento de culpa, antes aprenda a dizer para elas que está tudo bem e que você não está ofendido. Clame por reconciliação, mas tenha a atitude de promover alívio as pessoas que se sentem culpadas.

  1. Focar em Deus o rumo dos fatos. “...não fostes vós que me enviastes para cá, e sim Deus...” (Gn 45.8). José não creditava às pessoas a construção das circunstâncias de sua vida. Era Deus que dirigia pessoas e situações (Romanos 8.28). Também ele observou os fatos positivos da situação, ou seja, disse que tudo lhe aconteceu com o propósito de salvar vidas (Gn 45.7). Clame por reconciliação, mas certifique-se de que você confia no rumo que Deus está dando à sua vida.

José possuiu muitas oportunidades de retribuir o mal que seus irmãos e amigos lhe fizeram, mas devido ao ministério de reconciliação que possuía, pagou o mal com o bem (Romanos 12.21). Faça o mesmo e, então, verás supostos inimigos transformarem-se em pessoas amáveis e reconciliadas com Deus e com você.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore por união em sua família e na Igreja.
2. Ore para que prevaleça a harmonia na Igreja.
3. Ore pela salvação de seu lar, familiares, parentes, amigos e colegas.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Deixe a televisão, redes sociais, jornais e revistas de lado e coloque coisas boas diante dos seus olhos (Salmo 101). Telefone ou envie e-mail, para alguém, relatando sua experiência boa com Deus nesta campanha de Jejum.

“Ora, tudo provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por meio de Cristo e nos deu o ministério da reconciliação” II Coríntios 5.18.

9º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José é apresentado ao Faraó e começa um novo tempo!

CLAMOR POR RECONSTRUÇÃO


“O faraó mandou chamar José, que foi trazido depressa do calabouço. Depois de se barbear e trocar de roupa apresentou-se ao faraó” (Gênesis 41.14).


MEDITAÇÃO

Fico impressionado com a Palavra de Deus pelos detalhes que o Espírito Santo inspirou homens a escreverem. Qual a importância no contexto da informação de que José barbeou-se e trocou de roupa? Ele estava dois anos preso e um novo tempo iria ser iniciado em sua vida por ocasião de ser apresentando a Faraó. Novos tempos requerem novos procedimentos e adaptação. Quando objetivamos reconstruir algo precisamos tomar um novo caminho (trocar de roupa) e nos apresentarmos de uma maneira diferente do habitual (barbeou-se). Se você continuar fazendo sempre as mesmas coisas e do mesmo jeito o resultado nunca será diferente.
A trajetória de José indica três procedimentos para começar de novo:
  1. Conhecer, mas desprezar a própria fragilidade. O prisioneiro vai se encontrar com o grande mandatário do império egípcio e para isso precisa ter a postura correta em seu comportamento. Pessoas marcadas pelas dificuldades que enfrentaram, nunca conseguem dar um passo além. Lembre-se que as mudanças acontecem quando damos passos diferentes em outras direções. Cuidado para não praticar o positivismo no lugar da fé, pois o primeiro confia no homem e o segundo em Deus (Filipenses 4.13; Salmo 60.12; II Coríntios 4.7).
  2. Identificar o verdadeiro inimigo – ter visão espiritual. Todos tentaram desestimular José quanto ao seu sonho: os irmãos (Gênesis 37.8); seu pai (Gênesis 37.10); o patrão (Gênesis 39.20); e o amigo na prisão (Gênesis 40.23). Na verdade através de todas essas pessoas estava o diabo dizendo para ele desistir, que ele não era capaz, que seria um fracasso(…). E se acreditasse na mentira do inimigo não estaria  emocionalmente preparado para o encontro com a única autoridade humana que poderia mudar sua história: O Faraó. Lembre-se que o controle de sua vida está nas mãos de Deus, e Ele move pessoas para cumprir a vontade dEle.
  3. Não retribuir o mal sofrido. José não rompeu com ninguém, pois sabia qual era o verdadeiro inimigo. Essas pessoas faziam parte do sonho de José, por isso não rompeu com elas. A nossa natureza espiritual nos conduz a fazer o bem, daí vingar-se deforma o nosso caráter, e essas deformações impedem conquistas. Quando você precisar de um novo tempo tome cuidado para não se desfazer do que é bom em sua vida, e marcas de Deus em seu caráter constituem-se num extraordinário patrimônio (Romanos 12.17,21; I Tessalonicenses 5.15).
Quando precisamos de um novo começo é a intimidade com Deus que nos qualifica a identificar quais as roupas corretas e qual a melhor maneira para nos apresentarmos. Nunca permita que as dificuldades lhe impeçam de estar preparado quando Deus lhe der uma nova oportunidade.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore Pedindo a Deus um Novo Tempo (família – trabalho – espiritual...)
2. Ore para que você seja atuante na casa do Senhor.
3. Ore para que haja paz e o verdadeiro avivamento em nossa Casa e na Paróquia.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Hoje é dia de abster-se de refrigerantes e sucos. Beba apenas água e chá. A abstinência é uma atitude disciplinar que impomos ao nosso corpo.

“Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” II Coríntios 5:17

8º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

O copeiro-chefe esquece-se de José: Aprendendo a esperar em Deus!
CLAMOR POR UMA VIDA CHEIA DE FÉ E PACIÊNCIA

“O chefe dos copeiros, porém, não se lembrou de José; ao contrário, esqueceu-se dele” (Gn 40.23).


MEDITAÇÃO

Todos nós estamos acostumados a orientar nossa vida pelo tempo. Nossos planos desde os mais simples como as tarefas do dia a dia, até os mais importantes como a formação e vida profissional são elaborados a partir do tempo. E temos geralmente muita pressa. Aliás, vivemos numa era que pede que tudo seja feito com urgência, quanto mais rápido, mais eficiente é considerado. Transporte, comida, compras, educação, etc. Estamos tão viciados nesse raciocínio que com muita facilidade transmitimos esse valor para nossa vida com Deus. Mas para alcançarmos uma vida cheia de fé e paciência precisamos atentar para o seguinte:

  1. O tempo chronos e kairos. O povo grego antigo tinha duas palavras para o tempo: chronos e kairos. Enquanto chronos refere-se ao tempo cronológico, ou sequencial, que pode ser medido, kairos refere-se a  um momento indeterminado no tempo, em que algo especial acontece, ou seja, o tempo oportuno. Chronos é o nosso tempo, por isso estamos sempre contando-o, tentando abreviá-lo. Nosso Deus não está sujeito ao Chronos como nós estamos, pelo contrário, Ele age, segundo sua sabedoria, no tempo oportuno, no Kairós.

  1. A pressa nem sempre é uma virtude. Aliás, como diz o ditado popular, “ela é inimiga da perfeição”. A pressa não coopera para a maturidade. Um fruto não ficará próprio para o consumo caso não se espere com paciência para seu amadurecimento. Os anos de José na cadeia forjaram o caráter do inexperiente jovem hebreu para que se transformasse no eficiente governador do Egito. Enquanto na casa de Potifar conviveu com ricos e administrou com fartura e conforto, na prisão conviveu com o povo comum e aprendeu administrar na escassez.

  1. Servir a Deus com um coração sincero. Mas para isso precisamos aprender a ler “os sinais”, dados por Ele. O esquecimento do copeiro não escapou nos planos de Deus – fez parte dele – para que José estivesse pronto no tempo oportuno. O que teria acontecido a José se o copeiro tivesse cumprido a promessa e promovido sua saída? Teria voltado para a casa de seu pai? Ou ido para algum lugar distante e desconhecido? Não estaria Deus guardando-o para a missão que tinha para ele naquele país?

Nossa confiança em Deus se fortalecerá se lembrarmos de que Ele tem a hora certa de agir. Ele não dorme, nem mesmo cochila. Ele sabe todas as coisas e jamais chega atrasado. Não condicione o agir de Deus na sua vida ao Chronos, mas descanse no seu Kairós.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore demonstrando a sua esperança e confiança em Deus.
2. Ore pedindo a renovação das promessas.
3. Ore sabendo que Deus não esquece de ninguém e que no tempo certo a sua bênção vai chegar.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Abstenha-se de revistas, jornais, e-mails, palavras cruzadas... leituras que não irão te edificar espiritualmente. Procure ler a Bíblia ou um livro cristão, louvores e aproveite o tempo livre para orar.

“Agrada-se o Senhor dos que o temem e dos que esperam na sua misericórdia”

Salmos 147:11

7º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José tem a sabedoria de Deus!
CLAMOR PARA DESENVOLVERMOS HÁBITOS SAUDÁVEIS

“Então, o copeiro-chefe contou o seu sonho a José(...). Então, lhe disse José: Esta é a sua interpretação...” (Gn 39.9 e 12). “Depois, disse Faraó a José: Visto que Deus te fez saber tudo isto, ninguém há mais ajuizado e sábio como tu. Administrarás a minha casa...” (Gn 41.30, 40).

MEDITAÇÃO

José foi uma pessoa exemplar na história dos israelitas. Cultivou virtudes essenciais e serve de exemplo para a vida de qualquer cristão que vive neste século. Ao passar pelas lutas e circunstâncias adversas aprendeu a depender da graça de Deus e a esperar em livramentos vindos do alto. Três pontos na vida de José indicam o caminho para uma vida marcada por hábitos espiritualmente saudáveis:

  1. Crer no propósito de Deus em qualquer situação. O ambiente vivenciado por José na prisão poderia fazer aguçar sentimentos carnais como o ódio, a vingança e o ressentimento (Gl 5.16-21), os quais poderiam fazê-lo infeliz e impedi-lo de enxergar o plano glorioso que o Soberano Deus tinha para sua vida (Gn 50.20). Ao contrário aquele ambiente hostil e punitivo fê-lo depender de Deus e confiar em sua provisão.

  1. Praticar a oração de entrega. Privado da liberdade José precisou aprender a administrar a ansiedade (Mt 6.25-34). Certamente tinha sonhos e gostaria muito que as oportunidades surgissem para que eles fossem realizados. A Bíblia recomenda a todos os filhos de Deus a não viver sob a pressão da solicitude. Paulo recomendou a prática da oração como remédio para esse mal (Fl 4.6 e 7).

  1. Seguir a Palavra de Deus com fidelidade. José, como uma pessoa temente a Deus não criou nenhum mecanismo para burlar as circunstâncias ou levar vantagem dentro daquela situação. A cultura do “jeitinho” não fazia parte de seu modus vivendi. Sabia que Deus era soberano e que todas as coisas estavam sob o seu comando (Sl 139). Portanto confiava irrestritamente em suas promessas.

Como servos e servas de Deus precisamos buscar a sabedoria divina (Tg 1.5 e 6; 3.17). Com ela tomaremos decisões acertadas e poderemos realizar a vontade de Deus através de nossas vidas (Rm 12.1 e 2). Quando somos norteados pela sabedoria do Alto, então todas as nossas experiências serão revestidas de significado e propósito (Rm 8.28).

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore pedindo a Deus sabedoria (como José e Salomão)
2. Ore pedindo a Deus habilidades para crescer saudável em espírito e vida secular.
3. Ore ao Senhor pedindo sabedoria e habilidade para alcançarmos vida para Jesus (Evangelizar).

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Hoje é dia de abster-se de todo tipo de carne. (frango, bovina, suína e etc.).


“com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança...” Efésios 6.18.

6º Dia - 12 Dias de Jejum e Oração

José não desiste: CLAMOR EM BUSCA DE PERSEVERAR NOS PROPÓSITOS DE DEUS


“Então o senhor de José o tomou, e o lançou no cárcere, no lugar em que os presos do rei estavam encarcerados; e ele ficou ali no cárcere” (Gn 39.20).

MEDITAÇÃO

A saga de José está repleta de ações sobrenaturais de Deus para realinhar os seus caminhos, que por vezes são alterados por ações humanas sob influência do maligno, em contrapartida José sempre demonstrou confiança na provisão divina. Entre outras características que encontramos em José está a sua perseverança diante dos percalços e oposições espirituais. Observem alguns exemplos de perseverança encontrados em José.

  1. Tinha motivos para ser infiel, mas optou em permanecer fiel. Apesar de José ser jovem e estar sexualmente em plena forma, ele decidiu permanecer fiel aos princípios divinos e ao seu senhor que lhe havia confiado a administração de sua casa. Permanecer fiel ao Senhor beneficiará tanto você como as pessoas que estão ao seu redor.

  1. Tinha motivo para se tornar descrente em Deus, mas permaneceu crente. Quando caluniado pela mulher de Potifar, José foi destituído do nobre ofício de mordomo e viu as promessas de Deus se transformar em humilhação e tristeza, entretanto sua reação foi de silêncio e espera. Quando você perceber que os projetos de Deus estão ameaçados em sua vida por situações contrárias, faça como José, fique firme crendo na provisão do Pai.

  1. Tinha motivos para desistir dos seus sonhos, mas optou continuar esperando em Deus. Em nenhum momento você encontrará José se queixando de Deus ou de sua sorte, tão pouco demonstrando que havia deixado de crer naquilo que o Senhor prometera, mas simplesmente o encontramos encarando os problemas de frente e esperando as ações do SENHOR em seu favor. Jamais acredite que alguém pode impedir Deus de realizar os planos Dele em sua vida.

Para as pessoas que acreditam nas promessas de Deus sempre haverá motivos para não desistir delas e talvez alguns chegue a pensar que há coisas que para Deus não são possíveis de realizar, entretanto basta olhar para a vida de José e perceber que os fatos trágicos não invalidam ou impedem a concretização dos planos de Deus, pois o SENHOR é especialista em transformar a vida dos que perseveram nas suas promessas.

MOTIVOS DE ORAÇÃO

1. Ore pedindo a Deus fé e perseverança para cumprir o propósito que Ele tem para nós
2. Ore pedindo a Deus confiança Nele, pois Ele sempre supera as nossas expectativa.
3. Ore pedindo a Deus perseverança, ousadia, força, fé coragem, dinamismo e sabedoria para os nosso líderes.

CONSAGRAÇÃO

Jejum sugerido: Hoje é dia de abster-se trigo e derivados de trigo (ex: macarrão, pães, bolachas, biscoitos etc.).

“...corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta, olhando firmemente para o autor e Consumador da fé, Jesus...” Hebreus 12.1, 2