quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Como Prosperar no Deserto

No primeiro livro da Bíblia (Gênesis) capitulo 26 encontramos a história de Isaque, que enfrentou um tempo de fome em sua terra. Foi tentado a descer ao Egito, terra de sábios, prospera...  mas Deus lhe disse: Não desça ao Egito; vá para Gerar. Isaque contra todos os prognósticos, semeou na terra e colheu a quatro vezes mais do que o normal.

O deserto precisa de água, então Isaque reabriu os poços antigos e cavou novos poços. Não encontramos Isaque parado, reclamando da vida, ou acomodado esperando os milagres de Deus, pôs sua mão na obra e cavou possos. Quando os filisteus contenderam com ele por inveja, não brigou pelos seus direitos. Não deixou seu coração se irar. Por onde foi, cavou novos poços e por onde passou a bênção de Deus o acompanhava.


Ao cavar poços, levantava altares ao Senhor. Toda a sua vida era uma liturgia de adoração a Deus. Seus inimigos tiveram que reconhecer que Isaque era um abençoado de Deus. Em vez de vingar-se dos inimigos, Isaque recebeu-os em casa, e preparou um banquete os honrando.

Deus tem dado força todos os dias a nós, não para sermos ‘‘valentões’’, pelo contrario, sermos mansos, para continuar cavando poços em meio ao deserto, para prosseguir na caminhada.. assim seremos prósperos, abençoados e referencia como Isaque!

Marcel RMSS

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Advento²

Ainda não chegou o Natal, afinal, é Advento. No entanto, já está próximo!. Alguns estão alegres. Estão com saúde, empregados, bons salários, bom convívio familiar. Haverá grandes compras de presentes e comidas, tudo demonstrando muita alegria. Muitos conseguirão lembrar, por meio de situações e símbolos natalinos, que Jesus chegou! O Messias esteve e continua entre nós. Muitos perceberão claramente os seus sinais e maravilhas. Estamos vivendo dias de milagres.

O mercado está aquecido, a lista de presentes extensa. Entretanto, muitos não estão percebendo o hedonismo crescendo. Para muitos, é rotina, tudo normal. Mas a enfermidade está presente nas casas, hospitais, asilos e creches. Crianças e idosos abandonados, talvez, não estejam vivendo este tempo de milagres. Mesmo em lares abastados, a tristeza, a solidão, a ira, o ódio, a falta de perdão, drogas...

Alguns até estão participando de Cultos, reuniões, mas não vivem indiferentes, alheios. Cantam hinos, veem a cidade decorada com luzes e nas igrejas, mas estão insensíveis ou machucados demais, quem sabe até marcadas pela dor e o sofrimento, que não estão vivendo a Graça de Viver com Cristo. 

Difícil contraste! Uns percebendo o novo. Outros completamente alienados! É isto. Muitos já perceberam a chegada do Reino; outros, ainda não! Muitos já se abriram para a novidade, ou seja, Deus veio até nós. Não estamos sozinhos em nenhum momento e em nenhuma situação. No entanto, muitos ainda sofrem sós. 

Precisamos anunciar este novo tempo, esta mudança de mente (metanoia - do grego). Um tempo de transformação, é tempo de abandonarmos os medos e as angústias e percebermos que Cristo trouxe, traz e sempre trará o Natal. Nós temos de anunciar possibilidade de perdão, de paz, de esperança neste tempo de advento.

Portanto, este é um tempo em que cada um de nós pode se arrepender na vida pessoal e social e levar a mensagem de Esperança, pois em Cristo há esperança! 

É advento! É tempo de abrir a porta para o novo de Deus. Proclamamos, um novo tempo. Aqueles que nos cercam precisam saber de Cristo, sejam ricos ou pobres, enfermos ou sadios e viver as maravilhas de um novo tempo. Que cada um de nós possa ser portador do advento, das boas-novas, da paz, da fé, da esperança e do amor. É advento, em breve comemoraremos o nascimento do Rei!

Vamos preparar nossos corações, limpando e jogando fora o desânimo, a falta de fé, de coragem, de amor. Ele quer nascer em nossas vidas! Ele quer nascer nos lares!

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz.” Isaías 9:6


Marcel RMSS
Texto publicado no boletim 50/2014   -   14 de Dezembro da IECB - Paróquia Betesda

E se você foce o próximo Jó?


O início da narrativa do livro de Jó aponta Jó como um homem estabilizado na vida, tanto material como espiritualmente, coisa que todos nós buscamos. Uma família abençoada, bens que garantiam uma sobrevivência tranquila e uma vida espiritual exemplar (Jó 1. 1-5). Talvez a vida de Jó seja bem parecida com a de muitos de nós, (com algumas variações para mais ou para menos). Porém, quero mostrar a você um fato interessante desta história, existiu um diálogo entre Deus e Satanás que foi:

“Disse então o Senhor a Satanás: Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal. Será que Jó não tem razões para temer a Deus? Respondeu Satanás. Acaso não puseste uma cerca em volta dele, da família dele e de tudo o que ele possui? Tu mesmo tens abençoado tudo o que ele faz, de modo que todos os seus rebanhos estão espalhados por toda a terra. Mas estende a tua mão e fere tudo o que ele tem, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face. O Senhor disse a Satanás: Pois bem, tudo o que ele possui está nas suas mãos; apenas não encoste um dedo nele” Jó 1. 8-12 (NVI)

Depois desta conversa entre Deus e Satanás, tragédias começam a acontecer na vida de Jó. Morte de vários de seus empregados (1.15), de ovelhas (1. 16), roubo de seus camelos (1. 17), a morte de seus filhos (1. 19). Isso só foi o começo da prova de Jó! Confesso que deu medo, pela pergunta que passou em minha mente: E se Deus resolvesse que eu seria o próximo Jó? E se eu fosse escolhido para passar pela mesma prova de Jó? Teria a mesma fé de Jó? Teria fé suficiente para não blasfemar contra Deus?

Como Jó não blasfemou diante de Deus e nem abandonou o Senhor (Jó 1. 20-22), pelo contrário, O adorou, o Diabo resolveu solicitar a Deus permissão para aumentar a prova:

“Disse então o Senhor a Satanás: Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal. Ele se mantém íntegro, apesar de você me haver instigado contra ele para arruiná-lo sem motivo. Pele por pele!, respondeu Satanás. Um homem dará tudo o que tem por sua vida. Estende a tua mão e fere a sua carne e os seus ossos, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face. O Senhor disse a Satanás: Pois bem, ele está nas suas mãos; apenas poupe a vida dele. Saiu, pois, Satanás da presença do Senhor e afligiu Jó com feridas terríveis, da sola dos pés ao alto da cabeça. Então Jó apanhou um caco de louça com o qual se raspava, sentado entre as cinzas.” Jó 2. 3-8 (NVI)

Na segunda sequência de provações, Jó perdeu sua saúde e qualidade de vida, apoio de sua esposa, que lhe sugeriu que amaldiçoasse a Deus e morresse (2.9). Ele ficou praticamente na miséria material e física. E tudo isso com a permissão de Deus.

Essa segunda parte da prova me deu mais medo! E se Deus permitisse que minha fé fosse testada até esse nível? Se minha saúde fosse tirada, teria ainda fé? Se não restasse mais nada, nem o apoio dos entes queridos, eu permaneceria firmado e confiante em Deus?

Falamos que amamos a Deus, dizemos que tem fé Nele, que não O abandonamos por nada! Sejamos sinceros, por muito menos (muito menos mesmo!) deixamos de ser sal e luz, re-assumimos o controle de nossas vidas deixando Deus de lado.

Como anda a nossa Fé? esta posta em Deus ou nas bênçãos que Ele pode me dar? Eu tenho amado a Deus? ou as suas Bênção?

Se você fosse escolhido para ser o próximo Jó?