segunda-feira, 9 de novembro de 2015

O Pássaro e a Oração

Você já viu um passarinho dormindo num galho ou num fio, sem cair? Como é que ele consegue isso? Se nós tentássemos dormir assim, iríamos cair. O segredo está nos tendões das pernas do passarinho.

Eles são construídos de forma que, quando o joelho está dobrado, o pezinho segura firmemente qualquer coisa. Os pés não irão soltar o galho até que ele desdobre o joelho para voar. O joelho dobrado é o que dá ao passarinho a força para segurar qualquer coisa.

É uma maravilha, não é? Que desenho incrível que o Criador fez para segurar o passarinho!

Mas, não é tão diferente em nós. Quando nosso “galho” (segurança) na vida fica precário, quando tudo está ameaçado de cair, a maior segurança, a maior estabilidade nos vem de um joelho dobrado, dobrado em oração.

Se você algumas vezes, se vê num emaranhado de problemas que o fazem perder a fé, desanimar de caminhar, perdeu os sonhos e a esperança, não caminhe sozinho. Jesus quer fortalecê-lo e caminhar com você por toda sua vida!

É Ele quem renova suas forças e sua fé; e se cuida de um passarinho, imagina o que não fará por você Seu filho amado, basta você CRER! (Mateus 6.25-34).

 "Lancem sobre ele (Jesus) toda a sua ansiedade, porque ele tem cuidado de vocês”.
IPedro 5.7

“Busquem o Senhor enquanto é possível achá-lo; clamem por ele enquanto está perto” Isaias 55.6.

Dobre os seus joelhos, em oração, para que seus pés sejam firmados na Rocha que é Cristo.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Frutos do Espírito

“Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei. Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.” Gálatas 5:22-25

A Palavra diz que é pelos frutos que se conhece a árvore, mas o que são os frutos? O que frutos tem a ver com dons?

Nada. Dons são dádivas de Deus, não são frutos. Frutos vem da convivência com Deus, afinal não somos árvores temporãs.
Tem jambeiro gigante, bonito, cheio de folhas e flores, mas jamais dá frutos, árvores no pomar, tratadas e bem nutridas são para dar frutos, para que serve?

Cristão tem que produzir frutos o tempo todo, todo instante. Não existe esta de dar frutos só de vez em quando, ou por época. Afinal não adianta estar junto ao ribeiro, ser frondosa, ser grande e não dar fruto. É impossível ser fiel a Deus sem ter frutos.

O que importa são os frutos. Sinais não testificam vida com Deus, sinais não leva ninguém ao Céu: “Muitos me dirão naquele dia: Senhor, Senhor, não profetizamos nós em teu nome? e em teu nome não expulsamos demônios? e em teu nome não fizemos muitos milagres? (…) Então lhes direi claramente: Nunca vos conheci; apartai-vos de mim, vós que praticais a iniquidade” Mateus 7 -22 e 23.

São os frutos que mostram ao mundo sua comunhão com Deus. Infelizmente estamos vendo cristãos preocupados em produzir ou ver sinais, mas não estão nem interessados em produzir frutos.

Os frutos geram sementes. Já as folhas não geram sementes. As vezes estamos preocupados com a aparência, a formosura da arvore e esquecemos da preciosidade do fruto, o que em muitas vezes encontramos em pequenas arvores.

Hoje ser cristão de fato é apenas um “status”. Um estado passageiro. Parece santo, parece ter comunhão, não é cabelão, “paletosão”, batina, o tamanho da Bíblia que provam que temos comunhão com Deus. O que prova sua comunhão com Deus é sua produção de frutos.

Quando alguém precisa de alimento, quando passa por você com fome, o que você tem para oferecer?

O próprio Senhor nos admoesta a não seguirmos sinais miraculosos quando disse: Se, pois, alguém vos disser: Eis aqui o Cristo! ou: Ei-lo aí! não acrediteis; (24) porque hão de surgir falsos cristos e falsos profetas, e farão grandes sinais e prodígios; de modo que, se possível fora, enganariam até os escolhidos (Mateus 24 – 23 e 24).

Olhe para os frutos, esqueça as folhas!
Produza frutos em todo o tempo o tempo todo e esqueça as folhas!

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

3º Dia - Fé

“Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham o pensamento nas coisas do alto, e não nas coisas terrenas.” Colossenses 3, 1:2 

Essa palavra mostra que devemos pensar nas coisas do alto se não a vemos? Ai onde entra a fé! é saber o que é realmente importante para Deus, como: a fé, as promessas, a palavra Dele, os seus milagres e tudo aquilo que não é possível conquistar com as nossas próprias mãos ou até mesmo ver com os nossos próprios olhos, mas sim que é conquistado pelo poder de Deus e visto somente pela fé.

Mantenha a fé! Não desanime perante as circunstâncias. Veja tudo com os olhos da fé ou como Deus vê. Mantenha o foco em Deus e em seu poder de realizar o impossível em nossas vidas. Mas, acima de tudo confie, o que Deus prometeu… irá se cumprir na hora certa se você crer, mesmo sem nada ver ou perceber.

“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” Hebreus 11:1

“Pois nada é impossível para Deus.” Lucas 1, 37

Fé é crer, é esperar, é confiar em Deus! Mesmo não vendo nada, mesmo não fazendo sentido, mas, com total certeza que na hora certa tudo vai acontecer, pois, para Deus nada é impossível! A fé muda o nosso olhar, começamos a ver algo acontecer amanhã que não se pode ver hoje!


Tudo o que conquistamos sozinhos é passageiro, mas, o que conquistamos junto com Deus é eterno, duradouro. Por isso, não podemos nos deixar abalar pelas circunstâncias que surgem perante aos nossos olhos todos os dias e também pelo o que ainda não podemos ver acontecer, pois, é preciso crer! ter fé! Tenha fé pra crer mesmo não vendo nada acontecer, pois mesmo quando não estamos vendo, Deus esta no controle de Tudo!

Mc. Marcel RMSS

terça-feira, 15 de setembro de 2015

#2 Dia - Tempo de Renovo

“Até os jovens se cansam e ficam exaustos, e os moços tropeçam e caem; mas aqueles que esperam no Senhor renovam as suas forças. Voam bem alto como águias; correm e não ficam exaustos, andam e não se cansam." Isaías 40:30,31


Todo ano sentimos a necessidade de renovarmos algumas coisas em nossa vida. Às vezes queremos renovar a nossa atitude; renovar nossos móveis de casa, do escritório/trabalho; Sentimos até a necessidade de renovar a nossa auto-estima; Já percebeu que sempre precisamos de renovo? Chega uma hora que estamos cansados da rotina? É sempre bom renovar as nossas forças!

E há algo muito especial quando essa renovação trata-se de uma aliança com Deus!

Mas o que é Renovo?
No dicionário Michaelis encontramos: (ô) sm (der regressiva de renovar) 1 Ramo novo que brota da planta cortada ou podada; gomo, rebento, vergôntea. 2 Novo ramo de uma dinastia ou de uma família; descendência. sm pl 1 As novidades da terra. 2 Produtos agrícolas e gados. Pl: renovos (ó). 


O que é Renovar?
No dicionário Michaelis encontramos: (lat renovare) vtd 1 Tornar novo; fazer voltar ao primeiro estado, ou a um estado mais perfeito; modificar ou mudar para melhor: Renovar uma organização. Renovar a literatura. "...renova em mim um espírito firme" (Salmo 51, 12 - trad. do Pe. Matos Soares). vtd 2 Substituir por coisa nova e da mesma espécie: Renovar as provisões. vtd 3 Dar nova forma a; consertar:Renovar a casa. vtd 4 Restabelecer, restaurar: Renovar a situação, uma lei, um decreto. vtd 5 Tornar melhor em todos os respeitos; corrigir, reformar, regenerar: Renovar os institutos antiquados. vtd 6 Recomeçar:Renovar a luta. vtd e vpr 7 Repetir: Renovar o juramento. A ameaça se renova. vtd 8 Dar novas forças a; restaurar: O clima e a alimentação renovaram o convalescente. Renovou a criança com um substancioso regime. vpr 9 Rejuvenescer; revigorar-se: Renovavam-se-lhe as forças. vpr10 Regenerar-se espiritualmente: Renovaram-se muitas almas com a instrução religiosa. vtd 11 Relembrar, reproduzir: Renovar impressões.vint 12 Deitar (o vegetal) renovos ou rebentos: Renovam as plantas na primavera. vint e vpr 13 Reaparecer: O estado febril renovou (ou:renovou-se). vtd 14 Tornar a fazer: Renovar o acordo. vtd 15 Prorrogar:Renovar o prazo, o privilégio. vtd 16 Excitar novamente: Renovar a mágoa. Renovar as esperanças. R. as feridas: abrir novamente as chagas; ser causa de nova dor ou novo desgosto. R. na memória: fazer sempre presente na memória; relembrar. R. o sacramento: consumir as hóstias ou partículas antigas e consagrar outras. R.-se a lua: tornar a ser lua nova; voltar o novilúnio. R.-se a memória: deixar certa ideia bem definida no espírito de; fazer presente.

Já percebeu que somos limitados? Que esgotamos, que desempolgamos e precisamos muda... o homem é um ser limitado, um ser que envelhece, se cansa, um ser sujeito às pressões da vida moderna e principalmente sujeito as armadilhas do inimigo. 

O profeta Jeremias falou certa vez: “...Renova os nossos dias como dantes.” Lm 5.21b
O profeta pede a Deus que o seu coração volte a pulsar como antes, olha para o passado como uma referência de fé, amor, obras... Trazer de novo à lembrança; o que você pode relembrar?
   a) Quão ansioso você era para adorar a Deus?
   b) O que você mais gostava do Culto e hoje não gosta mais?
   c) A Palavra sempre tinha espaço em seu coração, sempre falava com você?
   d) Quem era mais forte, o cansaço, o sono ou a vontade de louvar e adorar?

Mas a Rotina leva-nos a achar tudo comum, que nada muda, que este caminho já foi percorrido diversas vezes e não tem mais graças! A rotina tem esfriado casamentos, amizades... e até a nossa relação com Deus! 

Mas o Espírito Santo pode restaurar, renovar, fazer algo novo em nossa vida! Ele não só nos criou como também prometeu o renovo: “E digo isto, e testifico no Senhor, para que não andeis mais como andam também os outros gentios, na vaidade da sua mente. Entenebrecidos no entendimento, separados da vida de Deus pela ignorância que há neles, pela dureza do seu coração; Os quais, havendo perdido todo o sentimento, se entregaram à dissolução, para com avidez cometerem toda a impureza. Mas vós não aprendestes assim a Cristo, Se é que o tendes ouvido, e nele fostes ensinados, como está a verdade em Jesus; Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente;” Efésios 4:17-23

“E fala-lhe, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Eis aqui o homem cujo nome é RENOVO; ele brotará do seu lugar, e edificará o templo do SENHOR.” Zacarias 6:12

Não adianta tentarmos mudar, fazer o caminho diferente, mudar os móveis, roupas, costumes... um dia vai cair na mesmice, vai virar rotina de novo! 

Se a renovação não vier através de Cristo tudo isso será em vão, pois só Ele é o perfeito Renovo.

Todos os dias, toda semana, todo mês, todo ano, o tempo todo precisamos estar nos renovando com o Senhor! Assim como as misericórdias de Deus se Renovam a cada dia, precisamos renovar a nossa mente e o nosso coração.

Precisamos renovar a nossa busca no Senhor; Hoje é segundo dia do Propósito de Oração e Deus quer renovar nossas vidas! Isso não é um ritual ou protocolo isso é necessário para todo Cristão... Pare um pouco converse com Deus, diga a Ele os conceitos que você precisa rever, a esperança que você tinha e hoje não tem mais, a fé que você tinha, a alegria da salvação, a esperança de Dias melhores...

É tempo de Renovo, de mudança, de transformação de quebrar a rotina terrena com a intervenção Divina! Peça a Deus hoje que Ele entre em nossa vida e faça morada e viva o Renovo de Deus!

Mc. Marcel RMSS

quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Tipos de Jejum

Enquanto o dicionários da língua portuguesa evidencia que o jejum pode ter mais de duas formas, a Bíblia apresenta pelo menos três:

Jejum normal (Mateus 4.2; Lucas 4.2):
Este jejum é aquele que se abstém de todos os alimentos sólidos e líquidos, exceto água. Jesus jejuou quarenta dias. A expressão "depois teve fome" indica supostamente que Ele absteve-se de alimento, mas não de água. Podemos compreender com isso que abster-se de água por quarenta dias requer um milagre. Jesus sendo tentado no deserto estava simbolizando o homem carnal sofrendo na sua tentação. Logo, não poderia exemplificar essa situação aproveitando-se da sua natureza divina e empregando o milagre de suportar a ausência da água por tão longo período. Contudo, nós vemos na Bíblia pessoas na presença de Deus há exatamente quarenta dias, sem comer nada nem beber água, mas precisamos entender que houve milagre divino em tal situação, porque estavam pessoalmente como Senhor (cf. Deuteronômio 9.9); 

Jejum absoluto (Ester 4.16): 
Este jejum compreende aquele onde nem alimento sólido, nem líquidos e nem água fazem parte. É o caso onde, biblicamente, não se aconselha ir além de três dias, pois até os médicos afirmam que o corpo humano sofre terrível desidratação sem água neste período. No contexto de Ester, é convocado todos os judeus para um jejum coletivo sem alimentos e sem água, mas por um tempo de três dias apenas. Caso semelhante vemos na experiência de Paulo (Atos 9.9). Ultrapassando o período de três dias de jejum sem água é aceitável apenas sob intervenção sobrenatural, como na situação de Moisés que vimos anteriormente, por exemplo (cf. Êxodo 34.28). De igual modo o caso de Elias, onde este recebe intervenção divina para suportar um longo caminho de quarenta dias sem água (I Reis 19.5-8). 
Jejum parcial (Daniel 10.3): 
Este jejum encontra-se numa situação de parcialidade, onde se abstém apenas de algum alimento que seja desejável. Lembra da definição linguística do início do estudo? ["quando alguém opta por diminuir sua dieta alimentícia o mais próximo de zero"]. Daniel fez isso, certa feita. Cortou da sua dieta "manjar desejável" ao seu paladar por três semanas. Seguramente este tipo de jejum pode ser aplicado à pessoas que tem problemas de saúde na região do aparelho digestivo, por exemplo, ou por quem já tem avançada idade. Segundo pesquisadores, Daniel tinha entre 80 e 92 anos nessa época e por isso achou mais inteligente naqueles dias cortar apenas alguns itens da sua alimentação diária, ao invés de jejuar sem alimentos e água. É provável que Daniel tenha vivido mais de 92 anos, porém, improvável que tenha passado dos 100. Convenhamos que o seu sofrimento em tirar da dieta apenas comidas saborosas equivale a alguém jovem e sadio como eu em abster-se de alimento sólido, líquido e água. Eu só tenho pouco mais de 28 anos e não tenho nenhum problema de saúde, graças a Deus (só para constar). Ainda sobre o jejum parcial, lembro-me de uma jovem da nossa igreja quando, em certa ocasião, fez um propósito de ficar algumas semanas sem acessar sua página no Facebook. Eu disse que isso era um tipo de jejum e louvei sua atitude. Todavia, entenda, caríssimo leitor, que não estou dizendo que devemos praticar jejuns parciais de coisas que aparentemente estão fora da Sã Doutrina. Deixar de acessar a internet, abster-se por um tempo de assistir TV, parar um pouco de jogar no computador, etc, porque está(ão), de certa forma, atrapalhando a comunhão com Deus, não deixa de ser um jejum, mas não podemos achar que este é suficiente para alcançar os olhos de Deus (Isaías 58.3-7 NVI). 


O jejum que Deus não aceita: 
Por orgulho ou penitência: “dizendo: por que jejuamos nós, e tu não atentas para isso? Por que afligimos a nossa alma, e tu não o levas em conta? Eis que, no dia em que jejuais, cuidais dos vossos próprios interesses e exigis que se faça todo o vosso trabalho. Que jejuais para contendas e rixas e para ferirdes com punho iníquo; jejuando assim como hoje, não se fará ouvir a vossa voz no alto” – Isaías 58:3, 4. 

Praticar o jejum para exibir cristianismo, provocar intrigas e visar interesses egoístas não é aceitável a Deus. O que deveria ser uma bênção, torna-se então uma maldição. 

O jejum não pode ser uma espécie de “justificação pelas obras”, ou seja, “vou jejuar e me salvar”. A salvação vem unicamente pela fé em Cristo Jesus. O jejum deve ser útil apenas como instrumento de uma busca mais profunda pelo Salvador. 

O Senhor Deus deseja conceder-lhe um vigoroso discernimento espiritual, novas percepções de Sua glória e desenvolver em você a fé incondicional. Faça um plano pessoal de jejum. Você se sentirá fisicamente e espiritualmente fortalecido, e entenderá claramente as respostas que Deus concede às suas orações. 

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

21 Dias de Jejum e Oração

Passos Básicos para um Jejuar eficaz

A Bíblia não ordena, nem obriga que os cristãos jejuem. Não é algo exigido por Deus. Ao mesmo tempo, a Bíblia apresenta o jejum como algo bom, lucrativo e esperado. Em Atos encontramos o registro que os cristãos jejuaram antes de tomarem decisões importantes (Atos 13:4; 14:23). O Jejum e oração são encontrados com frequência na Palavra do Senhor (Lucas 2:37; 5:33). Muitos pensam que o Jejum é só abstinência de comida, mas ao invés disto, o propósito do jejum deve ser desviar seus olhos das coisas deste mundo e “voltar o olhar para Deus de onde vem o nosso socorro” (Salmos 121.1).

O Jejum é uma maneira de demonstrar a Deus e a você mesmo que você leva a sério seu relacionamento com Ele. Jejuar ajuda você a ganhar nova expectativa e uma renovada confiança em Deus.

Apesar de o jejum nas Escrituras estar quase sempre relacionado à comida, existem outras maneiras de jejuar. O jejum é um sacrifício, você pode abrir mão temporariamente de uso da internet, redes sociais, tv, lazer, etc para que você se concentre em Deus, isso pode ser considerado um jejum (I Coríntios 7:1-5). O jejum deve ser limitado, ter tempo determinado com começo e fim, principalmente quando o jejum é de alimento. Longos períodos sem comer fazem mal ao corpo. O jejum não é uma dieta para perder peso, mas para ter um relacionamento mais profundo com Deus.

TODOS nós podemos jejuar! Alguns podem não conseguir jejuar de comida (devido aos problemas de saúde, por exemplo), mas todos podem, temporariamente, abrir mão de algo como sacrifício para se concentrar em Deus. O Jejum nos quebranta e desvia os nossos olhos das coisas deste mundo, para voltar a olhar para Cristo!

O jejum não é uma forma de conseguir o que queremos de Deus. Não é uma barganha ou troca! O jejum muda a nós, não a Deus. Jejuar não é um modo de ficarmos mais espiritual do que os outros. Jejuar é algo a ser feito em espírito de humildade, com alegre e determinação. Mateus 6:16-18 encontramos: “E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.”

Nunca podemos falar que o jejum não é importante! Quando jejuamos colocamos a carne submissa ao espírito, é como se “matasse” a carne, não deixando ela aflorar. Jejuando, você permite que o lado espiritual prevaleça em você. Ao jejuar você demonstra a Deus de que você necessita muito da SUA AJUDA! O Jejum não deve ser usado para impressionar os outros e nem a Deus (Ele nos conhece, sabe de tudo e todos, nada irá impressiona-lo!), mas como forma de humilhar-se diante Deus. Jesus disse: “Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto. Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente.” Coloque em prática o que você vai ler neste estudo e Deus, com certeza, te abençoe muito!

Como Jejuar
Abaixo descrevo alguns passos que a Bíblia nos ensina sobre o jejum que a grada a Deus. Você terá o seu tempo com o Senhor mais significativo e espiritualmente mais rico.
  1. Organize-se – Jejuaremos 21 dias, de 13 de setembro a 03 de Outubro. Separe alguns materiais que você poderá usar durante o jejum como: hinário, Bíblia com comentários, estudos Bíblicos, CD’s de louvores e etc.
  2. Tempo – Estipule um tempo, 1 hora, 40 ou 30 minutos para: Louvar, Orar e Meditar na Palavra. Este tempo deve ser exclusivo para Deus! Procure um lugar reservado, calmo, que te mantenha concentrado no propósito de buscar a Deus. Se possível tenha este momento nos três períodos: Manhã, Tarde e Noite. Procure preencher seu tempo vago com as coisas de Deus!
  3. Seja sábio! Não abandone sua família ou parentes... Peça a Deus estratégia e você manterá a harmonia familiar e seu jejum agradará a Deus!
  4. Defina o seu Proposito – Cada dia teremos um propósito indicado, mas também você deve ter o seu proposito pessoal! Peça ao Espírito Santo que mostre claramente direção e os objetivos para o seu jejum e oração.
Através do jejum e da oração, nós nos humilhamos perante Deus de tal forma que o Espírito Santo move nossa alma, desperta sua igreja (nós) e nos sara. De acordo com 2 Crônicas 7.14: “Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar e orar, buscar a minha face e se afastar dos seus maus caminhos, dos céus eu ouvirei, perdoarei o seu pecado e curarei a sua terra.” Faça disso uma prioridade em seu jejum.

Não busque apenas bênçãos materiais, prepare-se para um jejum de gratidão, de adoração, quando se declara sua total dependência dEle. Prepare para ser um verdadeiro adorador.

Decida que tipo de Jejum você irá fazer.
Ore sobre o tipo de jejum que você deve adotar. Jesus deu a entender que todos os Seus seguidores deveriam jejuar: “Então, chegaram ao pé dele os discípulos de João, dizendo: Por que jejuamos nós e os fariseus muitas vezes, e os teus discípulos não jejuam? E disse-lhes Jesus: Podem porventura andar tristes os filhos das bodas, enquanto o esposo está com eles? Dias, porém, virão, em que lhes será tirado o esposo, e então jejuarão.” (Mateus 9:14,15) Antes de jejuar, decida sobre os tópicos a seguir:
  • Qual o tipo do meu Jejum? Total [abster-se de um refeição diária], Daniel [Comer somente frutas, legumes, verduras... naturais], Especifico [Abster-se de chocolate, bolo, pão... aquilo que te agrada e que a ausência será um sacrifício] ou Líquido [Não come nada sólido, alimenta-se somente de sucos, chás, água de coco, água... nada industrializado] (os iniciantes devem começar lentamente, até alcançar jejuns mais prolongados)
  • Quais atividades físicas ou sociais você deixará de fazer? Quanto tempo durante o seu jejum você dedicará a oração e a Palavra de Deus? Fazer esses compromissos com antecedência o ajudará a sustentar seu jejum quando as tentações físicas e as pressões da vida tentarem fazer você abandoná-lo.
Prepare-se Espiritualmente.
O fundamento básico do jejum e da oração é o arrependimento. Pecados não confessados irão bloquear suas orações. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para preparar o seu coração:
  • Peça a Deus para ajudá-lo a fazer uma lista dos seus prováveis pecados e transgressões.
  • Confesse cada pecado que o Espírito Santo trouxer a sua mente e aceite o perdão de Deus. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1:9)
  • Procure obter o perdão de todos os que você ofendeu e perdoe a todos os que o feriram: “E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas.” (Marcos 11:25)
  • Peça a Deus para enchê-lo do Seu Espírito Santo de acordo com a sua ordem: “E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito” (Efésios 5:18)
  • Entregue a sua vida completamente a Jesus Cristo como seu Senhor e Mestre; recuse-se a obedecer a sua natureza carnal: “Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis os vossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:1,2)
  • Medite sobre os atributos de Deus, Seu amor, Soberania, poder, sabedoria, fidelidade, graça, compaixão, e outros: “Lembramo-nos, ó Deus, da tua benignidade, no meio do teu templo. Segundo é o teu nome, ó Deus, assim é o teu louvor, até aos confins da terra; a tua mão direita está cheia de justiça” (Salmos 48:9,10)
  • Comece o seu tempo de jejum e oração com um coração cheio de expectativas: “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam.” (Hebreus 11:6)
  • Não subestime a oposição espiritual. Satanás muitas vezes intensifica a batalha natural entre o corpo e o espírito: “Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne. Porque a carne cobiça contra o Espírito, e o Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro, para que não façais o que quereis.” (Gálatas 5:17,18)
Prepare-se Fisicamente
Jejuar requer certas precauções razoáveis. Observe se você toma alguma medicação ou tem uma enfermidade crônica. Algumas pessoas não devem jejuar sem a supervisão de um profissional. A preparação física faz com que uma mudança drástica na sua rotina alimentar seja um pouco mais fácil, de tal modo que você possa concentrar toda a sua atenção no Senhor em oração. Observe alguns detalhes:
  • Não comece o seu jejum abruptamente.
  • Prepare o seu corpo. Faça pequenas refeições antes de começar um jejum. Evite alimentos com alto teor de gordura e açúcar.
  • Coma frutas e verduras cruas por dois dias antes de começar o jejum. Enquanto você jejuar...
  • Se você está se abstendo de todas as comidas sólidas beba bastante água e sucos naturais.
  • Evite medicações, mesmo que sejam a base de ervas naturais e homeopáticas. As medicações devem ser retiradas apenas com a supervisão de seu médico
  • Limite suas atividades. Exercite-se moderadamente. Ande de 1 a 4 Kms por dia, se for conveniente e cômodo.
  • Prepare-se para um período de desconforto mental temporário tais como: impaciência, irritação e ansiedade.
  • Espere algum desconforto físico, especialmente no segundo dia. Você poderá ter dores passageiras, causadas pela fome, tonturas ou algo “esquisito”. A retirada de café e açúcar pode causar dor de cabeça. O mau estar físico pode causar fraqueza, cansaço ou sonolência. Os primeiros dois ou três dias são geralmente os mais difíceis. Mas, à medida que continuar a jejuar, você experimentará uma sensação de bem-estar, tanto física quanto espiritual.
Mantenha-se espiritualmente:
Para aproveitar espiritualmente ao máximo do Jejum, separe bastante tempo para estar sozinho com o Senhor.  Ler a Bíblia, Orar, Louvar... Ouça a Sua direção. Quanto mais tempo você passar com Ele, mais significativo será o seu jejum.
  • Comece o seu dia com louvor, leia e medite na Palavra de Deus, tenha um tempo em oração de preferência de joelhos.
Vai trabalhar ou para aula? Convide o Espírito Santo para ir com você! Deixe-o prevalecer e realizar a Sua boa vontade de acordo com Filipenses 2.13: “Porque Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade.”
  • Peça a Deus que o use. Peça a Ele que mostre a você como influenciar seu mundo, sua família, sua igreja, sua comunidade, seu país e assim por diante.
  • Ore pela visão dEle em sua vida e por poder para fazer a Sua vontade.
  • Passe um tempo intercedendo pelo líderes de sua Igreja e nação, pelas milhões de pessoas que não conhecem a Jesus e o seu amor, por sua família e por suas necessidades especiais.
  • Reserve um tempo diário sozinho, sem pressa, de sair da presença de Deus.
  • Se outras pessoas estiverem jejuando com você, encontrem-se para orar juntos.
  • Evite assistir televisão e outras coisas que possam desviar o seu foco espiritual.
Quando possível, se for o caso, comece e termine cada dia de joelhos com o seu cônjuge para um breve momento de louvor e agradecimento a Deus.

Evite também os chicletes ou mentolados, mesmo que o seu hálito esteja ruim. Eles estimulam a ação digestiva do seu estômago (pode dar fome ou dores no estômago).

Terminando o jejum. 
Dia 03 de Outubro é o tempo estabelecido do jejum terminar, você poderá começar a comer novamente. Mas, saber como terminar o seu jejum é extremamente importante para o seu bem-estar físico e espiritual. Encerrando o tempo do seu jejum, faça uma oração agradecendo a Deus e entregue ao Senhor o seu jejum e depois você já pode se alimentar.

Comece a comer gradualmente. Não coma comidas sólidas imediatamente após o seu jejum. Reintroduzir subitamente alimentos sólidos em seu estômago e aparelho digestivo provavelmente trará consequências negativas, até perigosas. Tente fazer várias refeições pequenas ou lanches a cada dia. Se você terminar o seu jejum gradualmente, os efeitos benéficos, físicos e espirituais, resultarão em uma boa saúde constante.

Espere os Resultados.
Se você se submeter sinceramente ao Senhor, arrepender-se, orar e procurar a face de Deus; se você meditar consistentemente em Sua Palavra, você experimentará um aumento na percepção na presença Divina. “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei, e me manifestarei a ele.” (João 14:21)

O Senhor lhe dará um novo e fresco discernimento espiritual. Sua confiança e fé em Deus irá se fortalecer. Você se sentirá mentalmente, espiritualmente e fisicamente renovado. Você verá respostas às suas orações. Um simples jejum, entretanto, não é um remédio “cura-tudo” espiritual.

Assim como precisamos diariamente ser cheios do Santo Espírito, nós também precisamos de novos períodos de jejum diante de Deus. Um jejum de meio período ou 24 horas a cada semana é muito recompensador para muitos cristãos. Leva tempo para fortalecer sua “musculatura” do jejum espiritual.
Se você falhar em fazê-lo no primeiro jejum, não desanime. Você pode ter tentado jejuar muito tempo da primeira vez ou talvez precise fortalecer seu entendimento e determinação.

Assim que possível, submeta-se a um outro jejum até que seja bem-sucedido. Deus haverá de honrá-lo por sua fidelidade. Jejue e ore, repetidamente, até que você experimente um verdadeiro re-avivamento em sua vida, na sua família, na sua igreja, em nossa nação e em todo o mundo.

O Jejum é uma grande arma que faz de você um Grande Vencedor, porém Deus é soberano e nos abençoa no tempo apropriado determinado por Ele.

O jejum opera primeiramente milagres internos (sentimentos, pensamentos, vontades, sensações...) e depois externos (físicos).


Mc. Marcel RMSS
Ministro Comissionado da IEC - Paróquia Betesda
www.marcel-rmss.blogspot.com

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Será que Deus errou?

“...minha vida dou a ti Senhor, rendido a ti estou e para sempre cantarei faz em mim o teu querer...” ou “...abro mão da minha vida por ti, abro mãos dos prazeres e das minhas vontades...” ou “...Tudo a Ti, Jesus, consagro, Tudo, tudo deixarei, Resoluto, mas submisso Sempre a Ti eu seguirei...”

Cantamos muito isto no momento de Louvor em nossas Igrejas, mas estamos vivendo isto? Será que realmente estamos entregando tudo a Deus? Será que realmente estamos confiando NEle?

Temos o jargão de orar: “...Senhor faz a tua vontade pois sabemos que ela é boa, agradável e perfeita...” O mais interessante e que falamos isto e não vivemos! O Senhor nos deu uma Igreja para congregarmos e muitas vezes criticamos a visão ou posição do pastor, não frequentamos a Escola Dominical, não nos envolvemos com os movimentos/eventos promovidos! E a vontade de Deus onde fica? Será que Ele errou nos colocando nesta Igreja? Será que Ele errou ao colocar o Pastor nesta Igreja? Deus erra?!? Ou eu que estou errado?!?

“A uns Ele (Deus) constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo, até que todos tenhamos chegado à unidade da fé e do conhecimento do Filho de Deus, até atingirmos o estado de homem feito, a estatura da maturidade de Cristo.” Efésios 4:11-13

Façamos diferente hoje! Já pensou em pedir a Deus que você tenha o mesmo entendimento do seu líder? Isto te levará a mesma comunhão com eles. "Aquele que não está comigo é contra mim, e aquele que comigo não ajunta, espalha.” Lucas 11:23

“Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil.” Hebreus 13:17

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Cuidado, é Engano!

Você já foi enganado? É muito ruim não é? Algum vendedor já te enganou? e você comprou algo inútil...

Estamos vivendo uma era em que o engano é geral! Há engano em todas as áreas da vida, politica, profissional, amorosa e inclusive religiosa! Sabemos que muitos aproveitam-se da fé alheia para tirar vantagens e levar mais uma vez ao engano! Muitas vezes as seitas apelam para a Palavra de Deus e usam até o nome de Jesus Cristo. Levam uma palavra de uma comunhão perfeita, demostra preocupação com próximo, com saúde, promete limpezas e "energias" boas, tudo muito convincente, Cuidado, é engano! A Bíblia nos alerta em I João 4.1 "Amados, não deis crédito a qualquer espírito; antes, provai os espíritos se procedem de Deus, porque muitos falsos profetas têm saído pelo mundo fora".

Mas como conhecer uma seita? Como saber o que vem de Deus? Faça apenas 3 perguntas e você saberá pelas respostas, são elas:


1. Quem é Jesus Cristo?
As seitas negam a pessoa do Senhor Jesus. Afirmam que Ele era um profeta, um ser evoluído, um politico, "Cristo cósmico"... Mas não o reconhecem como Senhor e Salvador, eles o negam como Messias! Nelas não é Jesus que está no centro, mas a pessoa do seu "guia", "profeta", "apóstolo"ou "guru". Entretanto, a Bíblia declara que Jesus Cristo é o único Deus verdadeiro. Ele se tornou homem para morrer na cruz por todos os homens. Ele ressuscitou corporalmente e vive por toda a eternidade (1 João 5.20; Colossenses 2.9; Marcos 10.45 e 1 Coríntios 15.3).

2. O que é a Bíblia?

Muitas vezes as seitas usam, de fato, partes isoladas da Bíblia, mas além dela ainda têm as suas doutrinas "especiais" como: "novas revelações", "visões" e "segundo escreveu..." que colocam no mesmo nível da Palavra de Deus, a Bíblia. Porém, a própria Bíblia legitima-se como a Palavra de Deus inspirada. Tudo o que precisamos saber sobre Deus, sobre Jesus Cristo e Seu grandioso plano para este mundo e com nossa vida é revelado exclusivamente na Bíblia Sagrada (2 Timóteo 3.16). Deus nos adverte para não irmos além do que está escrito na Bíblia (Apocalipse 22.18-19; 1 Coríntios 4.6).

3. Como posso encontrar a Deus? Como alcanço a vida eterna?

As seitas condicionam a salvação à filiação a sua organização. Seus membros devem treinar certas práticas de meditação ou cumprir outras normas de conduta. A Bíblia, pelo contrário, ensina: você é salvo e recebe a vida eterna de Deus única e exclusivamente pela fé pessoal em Jesus Cristo e por Sua graça (João 3.16; 14.6; 1 Timóteo 2.5; Atos 4.12).

Cuidado para não cair nas armadilhas de qualquer seita. Por isso, informe-se. Leia a Bíblia. Conheça a Jesus Cristo e confie nEle! O Seu amor vale também para você. Ele quer trazer luz às trevas de sua vida. Jesus Cristo diz: "Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará nas trevas, pelo contrário, terá a luz da vida" (João 8.12).

domingo, 7 de junho de 2015

Oração

A conversão de Saulo de Tarso foi tão inesperada que quase ninguém ainda acreditava, mas Deus disse a Ananias: “Dispõe-te, e vai à rua que se chama Direita, e, na casa de Judas, procura por Saulo, apelidado de Tarso; pois ele está orando” (Atos 9.11). Ananias foi e encontrou Saulo em oração. O mesmo deve ser dito de nós. Devemos ser conhecidos como pessoas de oração.

Neste ano, um dos propósitos da Igreja, é Oração. Daí, termos um grupo de Oração, realizarmos vigílias de oração todo mês e lutar em oração, por uma vida cheia do Espírito Santo, frutificando para o Reino de Deus.

Daniel, era conhecido como um homem de oração. Seus adversários tentaram encontrar acusações para fazer contra ele, algo contra o seu caráter ou seu estilo de vida, mas ele estava completamente limpo. E eles sabiam uma coisa sobre Daniel: ele orava todos os dias, três vezes por dia. Quando criaram um decreto real para que ninguém pudesse orar, exceto para o rei, Daniel não parou. Voltou para casa e orou três vezes naquele dia, como de costume. Ele foi fiel em orar, e Deus foi fiel em salva-lo dos leões (ver Daniel 6).

A oração que chamamos de oração do Senhor foi dada em resposta ao pedido dos discípulos, que disseram: “Senhor, ensina-nos a orar” (Lc 11.1). Este deve ser o desejo do coração de cada crente. “Senhor, ensina-me a orar”. A oração eficaz não deve apenas ser o nosso desejo do coração, mas uma característica que define a nossa vida. Vejamos alguns exemplos Bíblicos de homens que oraram e mudaram a situação. Elias orou e o fogo desceu do céu e queimou todo o holocausto; o resultado, foi: “O que vendo todo o povo, caiu de rosto em terra e disse: O senhor é Deus! O Senhor é Deus!” (1 Rs 18.39). Antes, Elias havia orado para que não chovesse em Israel e por três anos e meio, não caiu uma gota de chuva na terra de Israel, no tempo do rei Acab. Após o desafio que ele fez no Monte Carmelo, orou novamente e uma nuvem do tamanho da palma da mão de um homem, trouxe torrencial chuva que inundou a terra (1 Rs 18.41-45). Josué, foi outro homem que orou, diante de situação difícil e Deus atendeu a sua oração, fazendo algo inusitado: O sol parou por quase um dia todo: “… Sol, detém-te em Gibeão e tu, lua, no vale de Aijalom. E o sol se deteve, e a lua parou até que o povo se vingou de seus inimigos. Não está isto escrito no Livro dos Justos? O sol, pois, se deteve no meio do céu e não se apressou a pôr-se, quase um dia inteiro” (Js 10.12-13). Estes dois exemplos são suficientes, para que cultivemos uma vida intensa de oração. Paulo disse: “Orai sem cessar” (1 Ts 5.17). Nossa vida de oração deve ser constante e contínua. Oremos com fervor e veremos os resultados.

O próprio Jesus que, embora Deus era também homem, cultivou uma vida de oração. Começou seu ministério em oração e jejum e orava sempre, para se fortalecer contra as investidas do diabo. Da mesma maneira, devemos orar, para vencermos as dificuldades do “Dia mau”, que sempre nos acompanha e persegue. Oremos mais, jejuemos mais, vigiemos mais e assim, seremos vencedores por Cristo.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Eu Sou o Pão da Vida

"Eu Sou o Pão" João 6:48


Se existe um alimento conhecido e consumido em quase todos os lugares do mundo, é o pão. Provavelmente você deve ter comido pão hoje. O pão é fabricado a partir da farinha, amassada, fermentada e cozida no forno. As farinhas mais utilizadas são as de trigo, centeio e milho, originando diferentes tipos de pão segundo as misturas feitas e o grau de peneira das farinhas.
Esse alimento é um excelente fornecedor de fibra, de alguns minerais (ferro e cálcio) e vitaminas (complexo B) e, principalmente, hidratos de carbono complexos, necessários para fornecer energia e manter o bom funcionamento do organismo.

Devemos atribuir aos antigos egípcios a primazia no uso do fermento para a fabricação do pão.

Na Bíblia, a palavra PÃO (em hebraico = lechen) é muito mencionada e significa, em termos gerais, “alimento” ou “sustento”. Esse vocábulo aparece mais de 280 vezes no Antigo Testamento, desde Gênesis 3:19 até Malaquias 1:7. No Novo Testamento, o termo grego usado para pão é ártos e ocorre 97 vezes, desde Mateus 4:3-4 até Apocalipse 20:2. O pão fazia parte da alimentação diária dos antigos.
Por exemplo:
·         Sara apressou-se para preparar pão aos visitantes (Gn 18:1-6).
·         Aos trabalhadores no campo, o pão era dado como alimento (Rt 2:14).
·         Nas campanhas militares, servia-se pão também aos soldados (1Sm 16:20).
·         Os viajantes levavam pão para as viagens (Gn 21:14;  45:23; Jz19:19).
·         Jesus multiplicou pães e peixes (Mt 14:13-21).
·         Era costume do líder ou do chefe de uma família iniciar a refeição tomando um pão e dando graças ao Senhor. Em seguida, ele partia o pão e o distribuía entre os membros de sua família, algo que foi imitado por Jesus na cerimônia da Ceia (Mt 26:26).

No capítulo 6 do evangelho de João, Jesus faz uso de um simbolismo, identificando-Se com a necessidade humana do alimento chamado pão e conectando essa necessidade física com a necessidade espiritual da força, do ânimo, da Sua presença e proteção constante sobre nós. Então, Ele declara solenemente e com toda a autoridade que lhe convém:
Ø  “Eu sou o Pão da Vida” (João 6:48).
Ø  “Eu sou o Pão que desceu do Céu” (João 6:51)

Nesses dois textos e no restante do capítulo, Jesus usa a figura, o quadro, a ilustração de comer e beber, para representar o tipo de amizade e estreitamento que Seus filhos, os cristãos sinceros, devem desfrutar. Quando cremos e recebemos as palavras do Senhor Jesus como alimento físico, elas se convertem em uma parte de nossa vida espiritual, trazendo luz, paz, esperança e gozo, fortalecendo a alma, assim como o alimento material fortalece o corpo. Não é suficiente conhecer e respeitar as palavras das Escrituras. Devemos penetrar na compreensão das mesmas. Devemos estudá-las ardentemente, comendo e digerindo o Pão da Vida, revelando assim um caráter simétrico ao mundo (Hb 5:12).

Quando os homens se submetem inteiramente a Deus, comendo o Pão da Vida e bebendo a Água da Salvação, crescem em Cristo. Seu caráter se compõe do que a mente come e bebe.
Eis alguns dos maiores desafios que precisamos transpor nos dias em que vivemos:
·         Um desejo profundo pelas palavras de Cristo;
·         Um tempo maior com estas palavras;
·         Um conhecimento mais profundo das Escrituras;
·         Mais Bíblia em nossa vida, e consecutivamente teremos mais de Cristo também.

Encorajo você a acrescentar em sua “dieta espiritual” mais deste Pão, o Pão do Céu, o Pão da Vida: Jesus Cristo. Ele é o caminho certo para a sua Salvação. O alimento certo para sua Alma!


Marcel RMSS

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Eu Sou a Luz do Mundo

“Eu sou a Luz do Mundo” João 8.12

A nossa família tem o costume de viajar durante o 
dia, principalmente bem cedinho! Pois para onde formos chegaremos cedo, ou a maior parte da viagem será iluminada pela luz do sol! Existem perigos que naturalmente surgem durante o período escuro do dia.

Da mesma forma, o ser humano corre riscos no que se refere às trevas espirituais e morais. Hoje vamos meditar um pouco que fala de Luz: “Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá luz da vida”.

I - EXPLICAÇÃO DE JOÃO 8:12
a. Nessa passagem, Jesus faz Sua afirmação fundamental: “Eu sou a luz do mundo”. E é muito provável que o ambiente no qual Jesus pronunciou essa frase a tenha feito particularmente eloquente e impressionante.

b. João relaciona esses discursos e discussões com a festa dos tabernáculos (João 7:2). 

c. Nela, temos as afirmações de Jesus a respeito de que Ele daria aos homens a água viva.

d. Mas havia outra cerimônia relacionada com essa festa. No entardecer do primeiro dia da festa, havia uma cerimônia chamada a Iluminação do Templo. Acontecia no pátio das mulheres.

e. O pátio estava rodeado por profundas galerias, construídas para dar localização ao público.

f. No centro do pátio, preparavam-se quatro grandes candelabros.

g. Quando chegava o anoitecer, os candelabros eram acesos.

h. E, conforme se contava, os candelabros enviavam um resplendor tão claro por toda a Jerusalém, que todos os pátios da cidade ficavam iluminados por seu brilho.

i. E depois, durante toda a noite, até o cantar do galo na manhã seguinte, os homens mais destacados, mais sábios e mais santos de todo o Israel dançavam perante o Senhor.

j. E entoavam salmos de alegria e de louvor a Deus enquanto o povo os observava.

k. De maneira que, durante a festa dos tabernáculos, o resplendor das luzes do templo iluminava a cidade e transpassava a escuridão de suas praças, pátios e ruas.

l. O que Jesus diz é o seguinte: “Viram que o resplendor das luzes do templo atravessa a escuridão da noite”.

m. Eu sou a Luz do mundo – para o homem que me seguir, haverá luz, não só durante uma noite de festa, mas também durante todo o trajeto de sua vida.

n. A luz do templo é brilhante, mas ao final se debilita e desaparece. Eu sou para os homens a luz que permanece para sempre.


II - O QUE APRENDEMOS DESSA PASSAGEM BÍBLICA?

1. Jesus Cristo é a verdadeira luz.
a) A humanidade teve grandes figuras cheias de sabedoria, verdadeiros gênios, porém ninguém como Jesus. (Sócrates, Platão, Nilton, Santos do Dumont, Robert Kahn – internet, Thomas Edison – Lâmpada)

b) Cristo é luz não emprestada, não derivada. Ele é a fonte da luz.

c) Como o Sol, o Senhor Jesus não reflete a luz de outrem. Ele é a luz e ponto final.

2. A luz nos traz segurança. 
a) A noite é um tempo de perigo. Os ladrões geralmente vêm à noite. A luz do dia nos dá uma liberdade de movimento que não temos nas trevas. (não enxerga)

b) Da mesma forma, Jesus disse que quem o segue não andará em trevas. Isto quer dizer que essa pessoa terá segurança em cada passo que der na vida.

3. A luz elimina a ignorância.
a. O que podemos ver quando estamos no escuro? Nada!

b. Mas quando a luz surge, nossa visão muda! (totalmente). Aquilo que estava envolvido nas trevas vem à tona como realmente é. Tudo se esclarece.

c. Assim, diante da luz (Jesus), nossa vida muda. Até a percepção que temos de nós mesmos se transforma.

d. Nossos desejos e interesses passam a ser outros.

e. Olhamos a vida de uma forma nova e diferente e lembramo-nos do passado com um espírito de amor e perdão.

4. Jesus, a luz, é também vida. 
a. O texto fala de “luz da vida”. Sem vida, não existe nenhuma luz.

b. Deus é o Pai das luzes desde a menor até a maior, seja física, mental ou espiritual.

c. O seguidor de Cristo tem a luz dEle, que é a vida.

d. Essa luz produz vida e a mantém. A vida no seu melhor sentido, que a vida com Deus.

5. A luz é para ser anunciada. 
a. Se Cristo é a vida, se Cristo é a luz da vida e, se com Cristo, as trevas morais e espirituais são dissipadas, temos que anunciar isso.

b. Por isso Jesus disse: “Vós sois a luz do mundo”.

Conclusão:
a. A luz de Cristo não se apaga com os tufões, chuvas, nem apagões da vida.

b. Essa luz não desgasta com o tempo. O combustível que a mantém acesa provém da eternidade. É, portanto, luz que jamais se apaga.

c. Antes de Deus criar o mundo, o que havia era o caos. Mas, para provar que caos e Deus não combinam, a primeira coisa que Deus criou foi a luz: “Disse Deus: Haja luz; e houve luz” (Gn 1:3).

d. Começa-se dizendo que Deus criou a luz. A Bíblia termina dizendo que a luz de Deus tem duração eterna: “Então, já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles[...]” (Ap 22:5).

e. Você já pode dizer “o Senhor é a minha luz”?

f. Jesus não é apenas a luz do mundo. Jesus precisa ser a minha e a sua luz. Provamos isso brilhando por Ele.