sexta-feira, 1 de maio de 2015

Eu Sou o Pão da Vida

"Eu Sou o Pão" João 6:48


Se existe um alimento conhecido e consumido em quase todos os lugares do mundo, é o pão. Provavelmente você deve ter comido pão hoje. O pão é fabricado a partir da farinha, amassada, fermentada e cozida no forno. As farinhas mais utilizadas são as de trigo, centeio e milho, originando diferentes tipos de pão segundo as misturas feitas e o grau de peneira das farinhas.
Esse alimento é um excelente fornecedor de fibra, de alguns minerais (ferro e cálcio) e vitaminas (complexo B) e, principalmente, hidratos de carbono complexos, necessários para fornecer energia e manter o bom funcionamento do organismo.

Devemos atribuir aos antigos egípcios a primazia no uso do fermento para a fabricação do pão.

Na Bíblia, a palavra PÃO (em hebraico = lechen) é muito mencionada e significa, em termos gerais, “alimento” ou “sustento”. Esse vocábulo aparece mais de 280 vezes no Antigo Testamento, desde Gênesis 3:19 até Malaquias 1:7. No Novo Testamento, o termo grego usado para pão é ártos e ocorre 97 vezes, desde Mateus 4:3-4 até Apocalipse 20:2. O pão fazia parte da alimentação diária dos antigos.
Por exemplo:
·         Sara apressou-se para preparar pão aos visitantes (Gn 18:1-6).
·         Aos trabalhadores no campo, o pão era dado como alimento (Rt 2:14).
·         Nas campanhas militares, servia-se pão também aos soldados (1Sm 16:20).
·         Os viajantes levavam pão para as viagens (Gn 21:14;  45:23; Jz19:19).
·         Jesus multiplicou pães e peixes (Mt 14:13-21).
·         Era costume do líder ou do chefe de uma família iniciar a refeição tomando um pão e dando graças ao Senhor. Em seguida, ele partia o pão e o distribuía entre os membros de sua família, algo que foi imitado por Jesus na cerimônia da Ceia (Mt 26:26).

No capítulo 6 do evangelho de João, Jesus faz uso de um simbolismo, identificando-Se com a necessidade humana do alimento chamado pão e conectando essa necessidade física com a necessidade espiritual da força, do ânimo, da Sua presença e proteção constante sobre nós. Então, Ele declara solenemente e com toda a autoridade que lhe convém:
Ø  “Eu sou o Pão da Vida” (João 6:48).
Ø  “Eu sou o Pão que desceu do Céu” (João 6:51)

Nesses dois textos e no restante do capítulo, Jesus usa a figura, o quadro, a ilustração de comer e beber, para representar o tipo de amizade e estreitamento que Seus filhos, os cristãos sinceros, devem desfrutar. Quando cremos e recebemos as palavras do Senhor Jesus como alimento físico, elas se convertem em uma parte de nossa vida espiritual, trazendo luz, paz, esperança e gozo, fortalecendo a alma, assim como o alimento material fortalece o corpo. Não é suficiente conhecer e respeitar as palavras das Escrituras. Devemos penetrar na compreensão das mesmas. Devemos estudá-las ardentemente, comendo e digerindo o Pão da Vida, revelando assim um caráter simétrico ao mundo (Hb 5:12).

Quando os homens se submetem inteiramente a Deus, comendo o Pão da Vida e bebendo a Água da Salvação, crescem em Cristo. Seu caráter se compõe do que a mente come e bebe.
Eis alguns dos maiores desafios que precisamos transpor nos dias em que vivemos:
·         Um desejo profundo pelas palavras de Cristo;
·         Um tempo maior com estas palavras;
·         Um conhecimento mais profundo das Escrituras;
·         Mais Bíblia em nossa vida, e consecutivamente teremos mais de Cristo também.

Encorajo você a acrescentar em sua “dieta espiritual” mais deste Pão, o Pão do Céu, o Pão da Vida: Jesus Cristo. Ele é o caminho certo para a sua Salvação. O alimento certo para sua Alma!


Marcel RMSS

Nenhum comentário:

Postar um comentário