sábado, 7 de maio de 2011

Amor...

"No amor não há medo; pelo contrário o perfeito amor expulsa o medo, porque o medo supõe castigo. Aquele que tem medo não está aperfeiçoado no amor." I João 4.18

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Como Jesus é lindo! Sabe, muito do que converso com a Kety, no mesmo dia, no outro dia ou poucos dias depois, encontro aqui. É incrível. E não vejo isso apenas como uma forma de pensar semelhante entre vocês, o que é evidente, mas principalmente como algo sobrenatural, se é que me entende. Sendo mais direta e explícita, quero dizer que, anteontem ela citou em uma conversa nossa, esse versículo que você postou. Bem como tantas outras coisas, versículos, e até mesmo pensamentos. Na quarta que eu fui à vossa igreja, e Deus te usou poderosamente, por exemplo, muito do que falastes, era uma confirmação. Eu acho lindo e fico perplexa com a forma que Deus trabalha, a cada dia me impressiono mais quando chego aqui e vejo tamanha sintonia entre você e Ele, entre Ele e a Kety, e no que ele revela para ambos. Às vezes parece que você e ela conversam, combinam, não sei. Isso me deixa maravilhada. Me atendo a mensagem que passa este versículo, posso dizer que ele é quase como uma peça do quebra-cabeça de 1 Coríntios 13. Recordo-me até que já escrevi uma poesia relacionada a isso, acredito que não postei no meu blog, mas tenho guardada. O amor, como diz a Bíblia, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. Sofrer por amor, crer no amor, esperar pelo amor, suportar com amor, não as dores que o próprio amor lhe causa, porque não é ele quem causa, mas o que está acerca do amor. Não falo apenas das imperfeições da pessoa amada, mas dos obstáculos que aparecerão pelo caminho e que devem sim ser ultrapassados. O verdadeiro amor é corajoso, lança fora todo o medo, e acredito que a única forma de expulsarmos o medo próprio do ser humano, é buscando amar para que como diz o versículo acima: O amor possa nos aperfeiçoar no próprio exercício de amar.
    Mais uma bela escolha, Marcel. Ah, e a fotografia também está linda.

    Um abraço,
    Débora Andrade.

    ResponderExcluir